Olá pessoal, o que temos para hoje?
_
Folheando algumas revistas de conteúdo científico, encontrei algumas situações em que nos deparamos constantemente, e digo mais, encontrei explicação fisiológica para cada uma delas, e uma maneira de você driblar tais situações esquisitas nas quais nosso dia dia nos coloca. Peraí! não é simpatia, é Ciência.


SOFRE COM ASIA? MUDE DE LADO.

Estudos mostram que  pacientes que dormem virados para o lado esquerdo, têm menos chances de sofrer refluxo. Isto ocorre porque o estômago e o esôfago estão conectados por um determinado ângulo, assim quando você dorme pro lado direito,o estômago fica mais alto permitindo que a comida e o ácido estomacal deslise para sua garganta. No entanto, a asia é provocada por fatores diferentes, e em certas situações você deve procurar um médico.


SORVETE = DESCONFORTO NA CABEÇA?
Comumente ao tomar sorvete muito rápido ou até mesmo água muito gelada, algumas pessoas podem sentir um desconforto na cabeça. Os nervos da região do céu da boca ficam extremamente gelados, provocando  a dor que sobe do interior  do nariz até a região frontal da cabeça. Neste caso, você deve aplicar uma pressão no céu da boca com a língua,  quanto mais pressão aplica-se, mais rapidamente a dor diminui, pois a estará transferindo calor até trazer a região à temperatura normal. Neste caso trata-se de um desconforto momentâneo, se a dor persistir, deve-se buscar um médico.

DOR DESVIADA? CONTROLE-A.
Dor desviada, também conhecida como dor de viado não sei porque diabos. É um desconforto na região do abdome que ocorre quando você está correndo. A maioria das pessoas, quando corre, expira quando o pé direito toca o chão. Isso coloca pressão no fígado (lado direito), que repassa para o diagragma e reproduz a  ''dor desviada''. Por isso o conselho é exalar o ar quando o pé esquerdo tocar o chão. O desafio agora é ficar ligado no passo.


NERVOSISMO, O CORAÇÃO DISPAROU. CONTROLE-SE.
Primeiro encontro, nervosismo na certa, entrevista de emprego, vish, e agora? Leve consigo um saquinho ou até mesmo use o seu dedo,  o importante é assoprar bastante. A estratégia funciona porque, quando sofremos uma grande descarga nervosa e não estamos em movimento, temos uma hiperventilação. Isso resulta no aumento da concentração de Oxigênio em um lugar chamado gás alveolar (que fica no alvéolo pulmonar), onde ocorrem as trocas gasosas. Quando respiramos no saquinho, por exemplo, o efeito é  a diminuição da frequência cardíaca, devido a redução de oxigênio no gás alveolar. Com isso a frequência cardíaca volta ao normal rapidamente, sem precisar de calmantes.

Fontes: Medicina do esporte Cemafe/ Unifesp
Revista: GALILEU, nº 194